...

...

sábado, 1 de março de 2014

Luiz Inacio (Lula) e Rosemary Noronha respondem a a processo por formação de quadrilha,tráfico e corrupção 01 / 03 / 2014

Justiça abre ação criminal contra Rosemary Noronha e outros 17 investigados da Operação Porto Seguro



A Justiça Federal decidiu abrir ação criminal contra a ex-chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha e outros 17 alvos da Operação Porto Seguro (Ex-chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo é acusada de formação de quadrilha, tráfico de influência e corrupção passiva ) – investigação sobre suposto esquema de venda de pareceres técnicos de órgãos públicos federais.

Em decisão de 45 páginas, o juiz Fernando Américo de Figueiredo Porto, da 5.ª Vara Criminal Federal, recebeu denúncia da Procuradoria da República contra a amiga do ex-presidente Lula, que a colocou no cargo, por quadrilha, tráfico de influência e corrupção passiva.

A Porto Seguro foi deflagrada em novembro de 2012 pela Polícia Federal. Para a Procuradoria, Rose integrou organização que negociava documentos de repartições da União para favorecer empresários, entre eles o ex-senador Gilberto Miranda (PMDB-AM), que está entre os réus, por corrupção. O ex-número 2 da Advocacia-Geral da União, José Weber Holanda, virou réu também por corrupção. Na decisão,  o juiz Fernando Américo faz referência aos laços de Rose com José Dirceu, identificado nos autos como “JD”, para troca de favores.

“A primeira acusação do MPF é de que Rosemary teria pleiteado diretamente a nomeação de ‘seu amigo’ Paulo Vieira para a Diretoria da Agência Nacional de Águas- ANA, mediante contato com ‘JD’, na Presidência da República”, afirma o magistrado. O segundo fato seria a nomeação de Rubens, irmão de Paulo, para cargo de Diretor da ANA. Rosemary teria feito contato com a Presidência da República para indicar Rubens ao cargo, sendo o mesmo posteriormente empossado” continua o juiz, que acata o argumento do MPF de que tais nomeações teriam ocorrido mediante troca de favores. “Assim essa suposta troca de favores passa a ser enquadrada como corrupção e/ou tráfico de influência, o que é fato típico”, conclui.

Confira a íntegra da decisão do juiz

Atendendo ao pedido da Procuradoria, o juiz  Fernando Américo decidiu desmembrar a ação em cinco processos distintos baseados nos núcleos de investigação.“Analisando a denúncia, é possível perceber uma clara separação entre os fatos supostamente criminosos. Embora a investigação tenha origem comum, percebe-se que os supostos ilícitos não possuem relação umbilical entre si”, afirma o magistrado na decisão.(Fonte:Estadão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras éticas para o Comentador

Artigo 1 - A Coluna Trevosa não é um Colunismo Partidário e nem se limitará à politica

Artigo 2 - Se ela apoiar causas específicas não implicará em ter preferência por esse ou por aquele partido.

Artigo 3 - A coluna Trevosa não vai censurar ninguem e nem Moderar Comentários chamando para sí apenas a reserva de excluír somente aquilo que ofender atacando a pessoa do editor ou a a pessoa da fonte noticiosa de forma deliberada e intencional nos termos dessa lei.


Artigo 4- Se houver ofensas as mesmas serão substituidas por "asteríscos" (***) sendo publicado o restante sem reserva nenhuma.

Paragrafo Único:Somente será considerada ofensa se não houver bases para tal argumentação e inseridas em um aspecto que é incoerente ao que está sendo tratado.