...

...

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Os mercenários estaduais do governo Tarso Genro e o uso indevido da Brigada Militar com fins lucrativos 17 / 09 / 2013

É impressionante como o Governo Tarso Genro é um governo de gente que pensa  que pode enganar o povo quando na verdade não passam de uns bobões.Eles acreditam que ninguém se importa com a "bobagem" que eles estão fazendo ao negociar valores pecuniários na tentativa de lucrar 8 milhões de forma indevida confundindo aquilo que é público com aquilo que é  privado.O governo está discutindo valores pecuniários quando deveria estar discutindo competência.Será que é dever da Brigada militar fazer segurança dentro dos estádios de futebol?Será que isso é utilizar as instituições públicas de forma correta?Como diferenciar isso dos casos onde alguns Policiais fazem "bicos" em boates,festas,danceterias e casas de shows?A única diferença é que no caso dos estádios eles tem o aval do Governo Tarso Genro.Mas será que isso deve ser moralmente aceito?Onde está a ética nesse caso?Enquanto mercenários do Governo Tarso Genro negociam a segurança de instituições privadas como  se fosse do interesse público a barganha imposta fica posando como se ela fosse a discussão mais importante nesse caso.O governo Tarso Genro está cobrando aluguel dos nossos Policiais sendo que eles deveriam nos proteger como cidadãos e não como clientes.Enquanto isso o povo continua com pouco policiamento nas ruas e continua faltando segurança pública no espaço público,ou seja,onde eles realmente deveriam atuar.Por que os Clubes de Futebol não contratam seguranças particulares?É vergonhosa a forma como se utilizam da maquina pública para fins pessoais e privados  de uma forma tão descarada.Esse desgoverno mostra que seu interesse não é dar a atenção que o povo necessita.Só se importam em gastar dinheiro público com Copa,Estádios de Futebol,e em utilizar o serviço público da Polícia Militar de forma indevida!O negócio deles é "Pão e Circo" do Triunvirato de Julio Cesar.O povo já está cansado de medidas paliativas e projetos piloto com o uso indevido dos nossos tributos e o uso indevido das nossas instituições.Não podemos aceitar que continuem confundindo aquilo é público com aquilo que é privado.Onde está a ética?O que o Governo Tarso Genro está fazendo ao negociar valores e barganhando os serviços da Brigada Militar é uma sujeira corrupta de quem confunde aquilo que é público com aquilo que é privado.O governo Tarso Genro (o mesmo Governo Tarso Genro que já está devendo  ao povo o dinheiro surrupiado dos depósitos judiciais que pertenciam à indivíduos  particulares e que não paga o salários dos professores além de criar a Empresa Estatal de Cabides de Empregos para seus apadrinhados como a EGR sendo que já existe o DAER para fazer o serviço de tapar os buracos das estradas) quer lucrar alugando os serviços de segurança pública que o povo já paga com os tributos.É o cúmulo isso!O que esperar de um governador que já foi ministro da justiça e que soltou um criminoso como Cesare Battisti (que havia sido condenado por atos de corrupção,por assassinato e por estupro)?Sem dúvida esse caso da Brigada Militar nos Estádios de Futebol não se trata de segurança mas sim de lucro financeiro por parte do governo que está alugando à entes privados os serviços daqueles que deveriam proteger todos nós.

por Neryzinho Fortes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras éticas para o Comentador

Artigo 1 - A Coluna Trevosa não é um Colunismo Partidário e nem se limitará à politica

Artigo 2 - Se ela apoiar causas específicas não implicará em ter preferência por esse ou por aquele partido.

Artigo 3 - A coluna Trevosa não vai censurar ninguem e nem Moderar Comentários chamando para sí apenas a reserva de excluír somente aquilo que ofender atacando a pessoa do editor ou a a pessoa da fonte noticiosa de forma deliberada e intencional nos termos dessa lei.


Artigo 4- Se houver ofensas as mesmas serão substituidas por "asteríscos" (***) sendo publicado o restante sem reserva nenhuma.

Paragrafo Único:Somente será considerada ofensa se não houver bases para tal argumentação e inseridas em um aspecto que é incoerente ao que está sendo tratado.